Excesso de masturbação pode atrapalhar a relação sexual?
Notícias Sexo

Excesso de masturbação pode atrapalhar a relação sexual?

  •  
  •  
  •  
  •  
Masturbação

Masturbação

Se na masturbação você se acostuma a um alto nível de ansiedade e de preocupação com o desempenho, pode também desenvolver a perda de ereção. Ainda, se não tiver uma relação saudável com a masturbação (pecado, errado, desperdício, sujo), pode também criar dificuldades na relação sexual

* Por Carolina Freitas

Uma dúvida que recebi recente de um homem jovem é: “Eu me masturbar duas a três vezes ao dia pode atrapalhar a minha vida sexual? Tenho medo que o excesso de masturbação atrapalhe a minha ereção e também a minha ejaculação na relação sexual”.

A masturbação é uma forma de autoconhecimento. Pelo toque, pela autoestimulação o homem (e a mulher também) passa a conhecer seu corpo sexual, seus pontos mais sensíveis, como se dar prazer, como vai reagir ao prazer e, ainda, como melhorar a vida sexual a dois.

Leia+  Sexo: você já ouviu falar em Golden Shower? Explicamos

Todos os dias, duas vezes por dia, uma vez na semana, uma vez ao mês… Não tem como estabelecermos o excesso em números. Vai depender da idade e do dia a dia de cada um. Sabemos que na adolescência, quando o despertar sexual acontece e os hormônios e desejos estão à flor da pele, há mais vontade e estímulos para a masturbação, tanto para autoconhecimento quanto para prazer imediato. Nesta fase pode ainda não haver controle. Inclusive, o controle, tanto da ereção quanto da ejaculação podem sim serem aprendidos na masturbação.

Assim, o excesso é quando a pessoa deixa os afazeres do dia e passa a somente se masturbar ou com pensamentos na masturbação. Não consegue estudar, não consegue dormir, não consegue trabalhar. Leia a coluna completa



Robin Hood

Sobre o autor

Camila Botto

Formada em jornalismo com pós-graduação em mídias digitais, Camila Botto é colunista do Cabine Cultural, editora-chefe do Feminino e Além, autora do livro Segredos Confessáveis e sócia da Dendê Cult Press.

Deixe uma resposta