Rampage e mais 4: os piores filmes do ano até aqui - Cabine Cultural
Cinema Notícias

Rampage e mais 4: os piores filmes do ano até aqui

  •  
  •  
  •  
  •  
Crítica Rampage – Destruição TotalCrítica Rampage – Destruição Total

Crítica Rampage – Destruição Total

 

Os piores filmes do ano até aqui: Rampage, Operação Red Sparrow e outros filmes que entram para o top 5 mais aguardado do semestre

O ano de 2018 está passando rápido e o primeiro semestre já acabou. Isso significa que o Ícone do Cinema não poderia deixar de elencar os melhores e piores filmes até agora, como de costume, claro! Se você ainda não sabe a qual filme assistir, aqui vai uma lista dos imperdíveis e que merecem o destaque no nosso site, assim como aqueles que você deve passar longe e nem perder seu tempo!

Piores Filmes 

Rampage – Destruição Total

Leia+  Trailer "O Mistério do Relógio na Parede"

(…)nada do que o filme tenta desenvolver é efetivamente desenvolvido nos aspectos mais básicos que um roteiro de cinema deveria minimamente ter. A começar pelos personagens: Davis é nada aprofundado em sua história pessoal e a tentativa de retratar o personagem como um antissocial é algo que não combina nem com o próprio ator. Simplesmente não convence. A Dra. Kate, por sua vez, tem um arco dramático mais definido, ainda que sua vida no tempo presente do enredo seja completamente descartada e a trajetória de ambos personagens seja resumida durante um monólogo de dois minutos.  (…) Leia a crítica completa.

Tomb Raider: A Origem

(…)Infelizmente, os pontos positivos do filme não passam para além de seu elenco. O roteiro é incrivelmente falho, uma vez que conta com personagens desmotivados e unidimensionais, como o próprio vilão Vogel (Goggins), ou o braço direito de Lara, Lu Ren (Wu), além de inúmeras facilidades que concedem aos personagens resolverem certos impasses. (…) Leia a crítica completa.

Verdade ou Desafio

Leia+  "Um maravilhoso e competente trabalho" - Crítica: “A Morte de Stalin”

(…)Verdade ou Desafio simplesmente não faz sentido quando negligencia toda e qualquer discussão relevante acerca da geração retratada e as trata como se fossem meras causalidades sem maior contribuição para narrativa quando são, na realidade, essenciais e de importante desenvolvimento. São traições mal resolvidas, a revelação de homossexualidade que não é nem mostrada em tela, problemas alcoólicos não enfrentados, um triângulo amoroso confuso, briga entre policiais, traumas, e um caso de pedofilia seguido de suicídio que é tratado de forma banal e infantil.(…) Leia a crítica completa.

 

Veja a lista completa aqui

Sobre o autor

Gabriella Tomasi

Gabriella Tomasi

Gabriella Tomasi é crítica de cinema, graduanda em letras, membro do coletivo de mulheres críticas de cinema – ELVIRAS, e possui o blog Ícone do Cinema

Deixe uma resposta