Cinema Críticas Notícias

Crítica O Caso Richard Jewell: o esmagar do cidadão por um Estado tirânico

O Caso Richard Jewell
O Caso Richard Jewell

“O foco, aqui, além de um brutal exemplo de como a mídia e o Estado podem esmagar um cidadão e sua reputação, reside na desconstrução emocional de um homem vitima de sua ingenuidade e fé”

Por João Paulo Barreto

Há um adesivo na parede do advogado falastrão Watson Bryant, personagem vivido com energia por Sam Rockwell, que diz: “Tenho mais medo do governo do que de terroristas”. Lido em um ano tão longínquo quanto o de 1996, quando a internet engatinhava, celulares ainda (e apenas) telefonavam, ao invés de espalhar fake news que elegeriam exemplos desses temíveis governos liderados por terrorista e apoiado por fanáticos, e as redes sociais ainda seriam um pesadelo reservado ao futuro, o impacto de tal sentimento oriundo de um advogado ciente dos tentáculos destruidores de um país autoritário como os Estados Unidos, desenha com precisão o norte do novo filme de Clint Eastwood.

Leia também

Sexo, moda, comportamento, no Feminino e Além
Guia de filmes para passar no ENEM e em vestibulares
Lista de filmes que falam sobre Ética e moral
Os 10 filmes românticos mais assistidos no Brasil
10 livros incríveis para o homem moderno
Programação de cinema da Rede UCI Orient

O foco, aqui, além de um brutal exemplo de como a mídia e o Estado podem esmagar um cidadão e sua reputação, reside na desconstrução emocional de um homem vitima de sua ingenuidade e fé em uma diretriz governamental que ele sempre julgou como incorruptível: aquela que coloca a segurança do cidadão como prioridade. O Richard do título é esse homem. Aficionado por aspectos relacionados a procedimentos emergenciais e de prevenção a acidentes, o jovem Jewell é trazido ao público em sua rotina, inicialmente com vinte e poucos anos, em um emprego de organizador de suprimentos de escritório, onde conhece o advogado em questão.

Quase dez anos depois, em 1996, a representação legal de Bryant salvaria a vida de Jewell no caso do atentado a bomba na Olimpíada de Atlanta, evento onde Richard trabalhava como segurança e foi responsável por salvar dezenas de vidas ao descobrir uma bomba escondida. Três dias após o fatídico momento, o funcionário tornou-se suspeito em investigação do FBI e teve seu nome divulgado por um dos maiores jornais de Atlanta. Continua

Adicionar comentário

Clique aqui e comente

Deixe uma resposta

Passe no ENEM vendo filmes

Guia de Filmes