Notícias Séries

HIV e politização: “Pose” e os 5 assuntos atuais abordados na série

Pose
Pose

Pose: ambientada nos anos 90, série levanta temas ainda relevantes para 2020; segunda temporada estreou janeiro no FOX Premium 1

O drama musical “Pose”, que estreou sua segunda temporada no Brasil no mês passado no FOX Premium, vai muito além do glamour, das roupas extravagantes e do ‘vogue’. Com um novo episódio todos os sábados, às 21h45, no canal FOX Premium 1, a série conta com o maior elenco de atores transgêneros da história e aborda temas como relacionamentos, preconceito, família, saúde e politização da causa LGBT.

O pano de fundo da série é passado no universo dos bailes da comunidade LGBT de Nova York no fim dos anos 80 (primeira temporada) e início dos 90 (segunda temporada). Ainda assim, o enredo debate questões da época que são pautas bastante atuais para os dias de hoje.

Leia também

Sexo, moda, comportamento, no Feminino e Além
Guia de filmes para passar no ENEM e em vestibulares
Lista de filmes que falam sobre Ética e moral
Os 10 filmes românticos mais assistidos no Brasil
10 livros incríveis para o homem moderno
Programação de cinema da Rede UCI Orient

Os mais diferentes personagens, que possuem histórias únicas e complexas, se convergem em um ponto comum que é, justamente, o baile. É neste ambiente que o cruzamento das linhas de tempo acontece e as questões são posicionadas na série. Confira cinco temáticas que fazem de POSE uma série mais atual do que nunca:

Identidade de gênero

A identidade de gênero é abordada amplamente em “POSE”. De certa forma, tenta retratar os dois lados da transexualidade, sem tomar algum partido, mas também sem deixar de tocar na pressão social de se adequar em uma estética considerada feminina – muito presente nos dias de hoje.

Na série, Angel (Indya Moore) é uma das integrantes da casa Evangelista e lida bem com as questões de seu corpo pois possui uma estética considerada feminina. Enquanto isso, Elektra Abundance (Dominique Jackson) não consegue se sentir à vontade com seu corpo e passa por uma cirurgia de redefinição de sexo.

Novo conceito de família

A heterogeneidade do conceito de família e as mudanças dos padrões tradicionais é também um tema atual apresentado na trama. As casas que participam das disputas nos bailes têm em comum a presença de uma “mãe”, que recebe jovens e outras pessoas da comunidade LGBT que foram rejeitadas por suas famílias originais, por causa de sua orientação sexual. Nelas, são tratados como filhos e orientados que todos devem apoiar e contar uns com os outros.

HIV

O HIV teve um boom nos anos 90 e, hoje, é um tema cada vez mais presente, principalmente nas campanhas para uso da camisinha, que é a melhor forma de se prevenir. “POSE” aborda a doença por meio de sua protagonista Blanca (MJ Rodriguez) que, após ser diagnosticada com a doença, assume como seu propósito de vida deixar um legado e transformar a jornada de quem a acompanhar.

Seu melhor amigo Pray Tell (o ganhador do Prêmio Tony® e nomeado ao Globo de Ouro® Billy Porter) também é soropositivo e, ao lado de Blanca, orienta os integrantes da casa de Evangelista a fazerem o exame e conhecerem seu status. Também falam sobre o uso da camisinha e mostram que é possível ser soropositivo e ter uma vida normal, convivendo com o próximo.

Intolerância LGBT

O preconceito à comunidade LGBT como um todo é um dos protagonistas dos noticiários no mundo todo, refletidos em atos de violência e intolerância. Em “POSE” a situação é retratada em situações do dia a dia e que são bastante comuns ainda hoje.

Uma das sequências de cenas mostra Blanca sendo expulsa e menosprezada em num bar nova-iorquino por ser uma mulher trans. Outro momento, logo no início da primeira temporada, retrata o jovem Damon (Ryan Jamaal Swain) sendo expulso de casa pelos pais após ter sua homossexualidade revelada.

Politização

A marginalização de mulheres trans, que trabalham na indústria do sexo e da erotização para poder sobreviver, é uma das histórias contadas em “POSE”. O tema bate na porta de órgãos públicos, principalmente de grandes metrópoles mundiais, onde ainda é possível ver mulheres trans se prostituindo nas ruas, além de outras situações semelhantes.

Na produção, um dos exemplos é a história de Angel, que se apaixona por um homem casado enquanto se prostituía no píer de Nova York. Outro é o de ‘Lil Papi’ (Angel Bismark Curiel), que vende drogas nas ruas e até mesmo o de Elektra que, quando perde seu homem provedor, vai trabalhar em um privê mostrando o seu corpo e viver nas ruas.

Co-criada pelos aclamados Ryan Murphy e Brad Falchuk (reconhecidos por grandes sucessos como GLEE, American Horror Story e NIP / Tuck) com Steven Canals, “POSE” é uma produção da FOX 21 Estúdios de televisão e FX Productions. A segunda temporada de Pose estreou no dia 04 de janeiro e tem episódios inéditos exibidos todos os sábados, às 21h45, no Fox Premium 1.

Adicionar comentário

Clique aqui e comente

Deixe uma resposta