Cinema Notícias

Terremoto, 1º longa de John Andreas Andersen, estreia em março

Terremoto
Terremoto

Terremoto: Andersen conta que no início achou um pouco absurdo um filme sobre um terremoto em Oslo, mas que aos poucos percebeu que registros históricos tornavam a trama viável:

Um abalo sísmico de magnitude de 5,4 na escala Richter atingiu Oslo no início do século XX, abrindo uma fenda que cruza a cidade. De acordo com os cientistas, um novo terremoto com essa potência pode acontecer a qualquer momento, mas ninguém consegue prever quando. Essa é a premissa do filme-catástrofe, TERREMOTO, primeiro longa do diretor John Andreas Andersen, que estreia nos cinemas brasileiros em 19 de março.

Leia também

Sexo, moda, comportamento, no Feminino e Além
Guia de filmes para passar no ENEM e em vestibulares
Lista de filmes que falam sobre Ética e moral
Os 10 filmes românticos mais assistidos no Brasil
10 livros incríveis para o homem moderno
Programação de cinema da Rede UCI Orient

Andersen conta que no início achou um pouco absurdo um filme sobre um terremoto em Oslo, mas que aos poucos percebeu que registros históricos tornavam a trama viável: “a Noruega é a área sísmica mais ativa no norte da Europa, em 1904 realmente houve um grande terremoto na região e esse tipo de incidente acontecerá novamente”.

O diretor se utilizou dos personagens para levar o público a sentir o que eles estavam passando. De acordo com ele,  essa empatia é fundamental para o filme. “Porque se você não está vivenciando, não importa o quão espetaculares são as cenas, você não vai se envolver”. Portanto, além dos efeitos especiais e muita ação, o roteiro contempla o drama familiar de Kristian, sua filha Julia, que busca desesperadamente a atenção do pai, e Idun, a mulher que foi a grande paixão de Kristian. “E todos eles estão prestes a ter suas vidas completamente mudadas por essa impiedosa e brutal força da natureza”, explica Andersen.

“Com TERREMOTO, eu queria colocar o público no meio de uma cidade sendo dilacerada, sentindo o impacto dessa força. Espero que o filme leve o espectador a uma viagem emocionalmente e visualmente fascinante, com muita ação”, finaliza. Leia a matéria completa