Notícias Séries

Motivos para assistir a nova temporada da série “Cosmos”, da NatGeo

Cosmos
Cosmos

Cosmos: criada pelo cientista visionário Carl Sagan, a série Cosmos ganha nova temporada no National Geographic Brasil, com estreia no sábado, 06 de junho, às 22:30.

Lançada em setembro de 1980, a série Cosmos teve o importante papel de apresentar a complexa estrutura do universo por meio de uma linguagem acessível para o grande público. Criada pelo cientista e astrônomo Carl Sagan, a produção foi considerada um marco divisor na programação científica na televisão e estima-se que foi assistida por quase meio bilhão de pessoas ao redor do mundo.

Leia também

A ética no cinema: lista de filmes que abordam questões éticas e morais
A ética na televisão: lista de séries que abordam questões éticas e morais
E-book – Guia completo de filmes para passar no ENEM e em vestibulares
Os 10 filmes românticos mais assistidos no Brasil
Sexo, moda e comportamento no Feminino e Além

Três décadas depois, a série voltou a ser exibida em 2014 e agora, em 2020, ganha uma nova temporada. Intitulada Cosmos: Mundos Possíveis, os novos episódios serão exibidos no National Geographic e apresentados pelo cientista Neil DeGrasse Tyson – um seguidor de Sagan. A estreia está marcada para sábado, dia 06 de junho, às 22:30, no canal.

Confira abaixo alguns diferenciais desta superprodução, que provam que Cosmos: Mundos Possíveis não é só mais uma série de ciência:

1 – Efeitos especiais

Munida de recursos visuais abrangentes, Cosmos: Mundos Possíveis promete transportar o público para os mais variados e inóspitos ambientes. Do Big Bang a viagens no tempo, a série revela também heróis ignorados que sacrificaram tudo por uma revelação científica. Além disso, vai transportar o espectador para um lugar oculto onde a vida na Terra poderia ter começado, para mundos perdidos de nossos ancestrais e possíveis mundos de nossos descendentes, como Nova York daqui vinte anos.

2 – Conteúdo didático

Um dos grandes destaques da saga é o roteiro didático e de fácil compreensão, mas sem subestimar quem assiste. Com animação dinâmica e narrativa atraente, a série aborda diversos temas como composições químicas, cálculos matemáticos e teorias da astrofísica, tudo isso à bordo da famosa Nave da Imaginação. Assim como nas duas primeiras temporadas, o roteiro é de Ann Druyan, viúva de Carl Sagan que, desde 1980, colaborou com os projetos do cientista.

3 – Despertar da curiosidade

Cosmos inspira o espectador a ter um olhar mais científico sobre a vida. Além de conscientizar sobre o pequeno espaço que ele ocupa, mostra que a existência humana tem importância apenas para nós, já que o universo não para de evoluir. Além disso, a série incentiva o questionamento de tudo ao nosso redor e a busca por mais conhecimento.

4 – Reconhecimento

Lançada em 2014, Cosmos: Uma Odisseia Espacial, foi um sucesso na televisão e bastante reconhecida por isso. Na época do lançamento, a série concorreu há 12 Emmys e ganhou quatro prêmios: Melhor Roteiro em Programa de Não Ficção, Melhor Tema de Abertura, Melhor Trilha Sonora de série, e Melhor Edição de Som em programa de não-ficção.

5 – Inspiração

O programa que estreou em 1980 já foi assistido por mais de 400 milhões de pessoas. Além disso, Cosmos inspirou milhares de jovens a serem cientistas ou investir em careiras na área de astronomia e física. Os fãs se reconhecem na figura de Sagan e o tem como modelo a ser seguido, já que ele era apenas um jovem curioso sobre o universo e se tornou um dos cientistas mais famosos da sua época. A relação de apego e proximidade com a série foi o que tornou possível a volta do programa com Ann Druyan e seguidores leais de Segan, como Neil DeGrasse Tyson e Seth MacFarlane.

Adicionar comentário

Clique aqui e comente

Deixe uma resposta

Assista ao Festival

9º edição do Olhar de Cinema