Cabine Cultural

Cinema e séries criam tendência e dominam o streaming em 2020

O Gambito da Rainha

Ano de 2020 será marcado como o ano em que o streaming viu explodir a audiência de filmes e séries; pandemia ajuda a explicar, mas não é somente isso

Se em anos passados era impossível de imaginar um contexto no qual os filmes lançados teriam mais espaços nas tvs e aparelhos moveis que em cinemas mundo afora, em 2020 essa ideia foi pulverizada com a pandemia do coronavírus, que tirou das ruas bilhões de pessoas com medo de adoecer e morrer por conta do vírus que até hoje assusta o mundo.

Assim, a pandemia ajuda a explicar o porquê de o streaming ter abocanhado uma enorme fatia da audiência dos filmes e das séries em 2020, acelerando um processando que já estava avançando a passos largos, por conta de outros motivos.

Outros motivos além da pandemia

De acordo com o estudo conduzido pela Betway Cassino, o modo como as séries impactam o espectador ajuda a entender o porquê do crescimento do streaming no ano passado.

O poder de um filme e de uma série em nossas vidas impacta diretamente no nosso comportamento e nos nossos hábitos. Nossas escolhas (a roupa que vestimos, a música que ouvimos, as viagens que fazemos) podem trazer uma relação muito direta com as séries e os filmes que assistimos.

E como sabemos disso? Bem, é ai que o estudo da Betway entra em cena e nos mostra como isso faz sentido.

O sucesso de uma série ou filme acarreta imediatamente numa procura muito maior de seus assuntos chaves na internet. Passamos a reproduzir comportamentos, ouvir suas músicas, viajar para suas locações, dentre outros comportamentos. De acordo com a psicóloga clínica, mestre e doutora pela Unesp, Deborah Perez, as produções audiovisuais fazem mais do que impactar: elas ajudam a formar a nossa personalidade como um todo. “O ser humano é o que é ao estar no mundo: agir, produzir, consumir, relacionar-se… Dessa forma, há influência direta da produção midiática na nossa subjetividade”, afirma.

O xadrez e a rainha

Se pensarmos em 2020 veremos alguns casos emblemáticos que nos ajudam a entender todo este estudo e esta ideia de como o universo audiovisual influencia nas nossas escolhas subjetivas.

Um das séries mais populares de 2020, O Gambito da Rainha, trama que traz o xadrez como peça central do projeto, fez explodir a procura por xadrez no mundo inteiro. A quantidade de novos jogadores de xadrez no mundo cresceu como nunca antes visto, e a série foi um dos maiores motivos (senão o único) para este crescimento exponencial.

Paris e a moda

Outra série, Emily em Paris, ficou marcada por indicar tendências em moda, por conta do figurino icônico e dos acessórios que viraram moda rapidamente. O termo Bucket Hat teve um crescimento incrível de 342% nos mecanismos de busca como o Google. Flávia Mendonça, socióloga formada pela UNB, atualmente mestranda em sociologia também pela UNB e especializada em Sociologia da Cultura, indica como o mercado já sabe desses números antes deles acontecerem. Segundo ela, “no audiovisual tem sempre muita análise de dados, estudos e pesquisa de mercado. As plataformas digitais de streaming, por exemplo, conseguem facilmente traçar o perfil dos assinantes e, com isso, produzir produtos com base no que faz mais sucesso”.

Os exemplos são vários e a certeza de que este é um caminho sem volta é cada vez maior. As pessoas ficarão mais em casa daqui para frente; assim, consumirão cada vez mais filmes e séries em streaming; por vez, as produções lançadas terão cada vez mais condições de impactar quem assiste, indicando tendências, moda e comportamento. Basta somente agora esperarmos para ver qual será o filme ou série da vez.

Alguma aposta?

 

Sair da versão mobile