Comportamento Generalidades Notícias

Iguarias que você não pode deixar de provar no Nordeste brasileiro

Baiana do Acarajé
Baiana do Acarajé

“Iguarias que você não pode deixar de provar no Nordeste brasileiro”

Bastante explorado como destino de turismo, a Região Nordeste do Brasil reúne praias paradisíacas em seus mais de 3 mil quilômetros de extensão, cidades com arquitetura histórica, paisagens naturais incríveis, clima agradável o ano inteiro, hospitalidade impecável e, é claro, uma identidade gastronomica excepcional.

De fato, a culinária nordestina guarda muitos segredos e tradições nos seus pratos. Ao longo de mais de 500 anos de história, essa típica cozinha brasileira resulta de uma peculiar mistura de tradições, ingredientes e alimentos introduzidos não só pelos povos indígenas, mas também por diferentes fluxos migratórios, especialmente europeus e africanos, ao longo de todos estes séculos.

Engana-se quem pensa que o roteiro gastronômico do Nordeste se resume a alguns restaurantes da orla marítima. Apenas para citar um exemplo, a peculiaridade da região já começa com as tradicionais baianas de acarajé, com seus tabuleiros da iguaria que impressiona pela beleza, sabor e precisão da receita.

Iniciamos então nossa jornada culinária pela região Nordeste deste país continental.

Ceará

Nos restaurantes do Ceará, os pratos simplesmente ímpares variam da culinária típica praiana, marcada por peixes e frutos do mar, às surpreendentes receitas com ingredientes do sertão. Chama a atenção o exótico sarrabulho – uma versão do sarapetel baiano – que leva no preparo vísceras suínas, toucinho, ervas e temperos. A rapadura, muito comum no estado (presente até na merenda escolar) é consumida pelos nativos com farinha de mandioca. Frutas como cajú, siriguela, sapoti, cajá e graviola enchem os olhos dos turistas pela sua beleza, além de dar sabor às sobremesas e sorvetes deliciosos.

Pernambuco
Em Pernambuco, as receitas de frutos do mar também dividem espaço com a culinária regional do interior do estado. Na mesa estão pratos famosos como a carne de sol com manteiga de garrafa, que acompanha queijo de coalho e feijão-de-corda; a buchada, iguaria que leva estômago de bode ou carneiro, recheado com miúdos e temperos; e o chambaril, um cozido feito com ossobuco bovino e servido com pirão. Entre as sobremesas, o destaque fica por conta do bolo de rolo e do bolo Souza Leão, reconhecidos com o título de Patrimônio Cultural e Imaterial do estado de Pernambuco.

Alagoas
A imensidão do mar verde esmeralda de Alagoas inspira uma cozinha inventiva e aromática, com pratos que trazem o sabor do mar à mesa. Combinações de mariscos e crustáceos como sururu, siri e camarão, enriquecidos com leite de coco e temperos típicos, agradam os paladares mais exigentes. Entre as sobremesas, a umbuzada sertaneja, feita com a fruta do umbuzeiro “a árvore sagrada do sertão”, é a escolha perfeita para um final de refeição. A cocada da Massagueira e as broinhas de goma de Maragogi também se destacam entre as iguarias artesanais de Alagoas.

Bahia
Apelidada de “Terra da Felicidade”, a Bahia é um reduto de pratos exóticos de influência africana que propõem uma experiência culinária incomparável. Entre os mais consumidos está a aromática e apimentada moqueca de camarão, servida com arroz de coco, pirão, farinha de mandioca com azeite de dendê (de sabor marcante e cor laranja). Além do acarajé já citado acima, no tabuleiro da baiana tem abará, passarinha ((baço bovino frito) e o famoso bolinho de estudante, feito com tapioca e coco. No sertão do estado, especialmente na Chapada Diamantina, pratos como o picadinho de palma (espécie de cacto típico da caatinga) e o godó de banana (feito com carne de sol e banana verde) são comuns em diversos restaurantes.

Piauí
Com forte influência da culinária indígena, os pratos da mesa piauiense contam com ingredientes como a farinha de mandioca, o azeite de coco e o corante natural extraído do urucum. O bode, a carne de sol e a ave capote (galinha d’angola ou guiné) também estão na base desta cozinha. A carne de bode assada ou ensopada se encontra em praticamente todos os cardápios da região. A paçoca piauiense, feita de carne de sol pisada no pilão, farinha de mandioca, coentro e banana da terra, é um dos pratos mais requisitados pelos visitantes. Entre as frutas, o cajú é protagonista, pois é transformado em sucos, doces e bebidas, como a famosa cajuína, patrimônio imaterial piauiense e presente até em versos de artistas populares do país.

Marcadores

Adicionar comentário

Clique aqui e comente

Deixe uma resposta