Site icon Cabine Cultural

5 obras antigas que previram os avanços da tecnologia

5 obras antigas que previram os avanços da tecnologia
O Guia dos Mochileiros da Galáxia – Obras antigas que previram os avanços da tecnologia

“5 obras antigas que previram os avanços da tecnologia”

A famosa frase “A vida imita a arte” faz ainda mais sentido para os fãs de ficção científica, já que é comum notar as tecnologias apontadas nas obras do passado virando realidade no presente. Aqui, listamos alguns livros que “previram o futuro” ao apresentar objetos semelhantes aos que temos em mãos atualmente:

Daqui a cem anos: revendo o futuro – Edward Bellamy

Nesta clássica utopia urbana, publicada em 1888, um homem que vivia em 1887 passa por um transe hipnótico e acorda no ano 2000. No meio desse mundo futurista, um objeto chama muito a atenção de quem lê o livro na atualidade: o cartão de crédito – que inclusive aparece na obra com este nome. Naquela época, ainda era impensável comprar produtos sem dinheiro, como descrito pelo autor. O cartão surgiu 63 anos após a publicação.

O Guia do Mochileiro das Galáxias – Douglas Adams

Um dos livros de ficção científica mais queridos do mundo, “O Guia do Mochileiro das Galáxias” foi publicado em 1978. Uma das ideias de futuro mostrada no livro é a tradução de voz em tempo real. Hoje em dia, os tradutores inteligentes, equipamentos que cumprem esta função, já se tornaram populares e ajudam viajantes por todo o mundo – de acordo com dados do site especializado TechReviews, é possível ter um desses “itens do futuro” por menos de R$200. No ano passado, uma empresa japonesa desenvolveu até uma evolução do produto: uma máscara inteligente capaz de traduzir os diálogos

Tom Swift and His Electric Rifle – Edward Stratmeyer

Este livro juvenil de 1911, pertencente à uma série de 10 volumes protagonizada por Tom Swift e seus objetos, é a maior prova de que as “visões do futuro” presentes nos livros não são meras coincidências e que a ficção é capaz de estimular as invenções. O rifle elétrico do personagem virou a arma de choque não letal e o criador batizou a invenção em homenagem à obra, com as iniciais de Thomas A. Swift Electric Rifle – o Taser.

2001: uma odisseia no espaço – Arthur C. Clarke

“2001”, lançado em 1968 em conjunto com sua versão cinematográfica dirigida por Stanley Kubrick, conseguiu acertar várias previsões, como a inteligência artificial. Mas, um dos itens do livro se destaca: o bloco de notícias, um equipamento utilizado para leitura que se assemelha muito com os tablets e e-readers da atualidade.

Fahrenheit 451 – Ray Bradbury

Na obra de 1953, Bradbury previu várias invenções que se tornariam realidade décadas depois. Entre elas, estão a TV de tela plana (mostrada como “televisão de parede”) e os dispositivos de áudio portáteis, como os fones de ouvido bluetooth, que são apresentadas como “rádios de dedais” e “conchas”.

Sair da versão mobile